quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Gratinado de cherovia, batata doce e aipo

Quando era miúda, na noite de consoada, aparecia sempre um ingrediente à mesa que só comia mesmo naquele dia porque nunca mais o voltava a ver até ao ano seguinte. A cherovia.
O meu tio trazia-a de Trás-os-Montes e havia sempre conversa à volta dela, ora porque parecia uma cenoura, ora porque parecia isto e aquilo.

Agora já se encontra com mais facilidade por aí à venda e até já se encontra na horta do meu pai, eheheh.
Com um bolbo de aipo e uma batata doce com a mesma origem se fez um gratinado dos bons.
Se há alguém que goste de gratinados tanto como eu, não deixe de experimentar, porque este fica assim de se comer e ir fazer mais.


   photo IMG_0724_zpsydla02vv.jpg 


Gratinado de cherovia, batata doce e aipo
Inspirado no gratinado de batata da edição de Novembro 2015 da revista Bon Appétit

3 dentes de alho
Manteiga q.b. p/ untar
Azeite
1 cebola
1 chávena de leite gordo (240 ml)
1 c. sopa de tomilho limão
Sal e pimenta preta moída na hora
1 batata doce, aprox 400 g, cortada em rodelas finas
½ bolbo de aipo, aprox 400 g, cortado em rodelas finas
1 cherovia pequena, aprox 200 g, cortada em rodelas finas
1 chávena de queijo da ilha, ralado na hora


// preparação tradicional

Pré-aqueça o forno a 160ºC. Corte um dos dentes de alho ao meio e esfregue o tabuleiro com ele, depois unte com a manteiga e reserve.

Refogue a cebola e os restantes dois alhos picados em azeite, até a cebola ficar translúcida e amolecer.
Junte o leite, o tomilho limão, tempere com sal e pimenta e deixe em lume brando, cerca de 15 minutos. Aguarde que arrefeça ligeiramente e triture até obter uma mistura homogénea.

Enquanto a cebola cozinha, corte os legumes finamente e distribua-os de forma alternada no tabuleiro untado.
Vá apertando as fileiras, de modo a que o tabuleiro fique bem preenchido e as rodelas fiquem ligeiramente levantadas. Deste modo, a base será cozinhada no molho e ficará macia e a parte de cima ficará crocante.

Verta o leite sobre os legumes, tape com folha de alumínio e leve ao forno cerca de 60 minutos.
Depois desse tempo, destape o tabuleiro, aumente o forno para 200ºC, polvilhe com o queijo e gratine cerca de 10 minutos ou até ficar dourado.

Pode ser tudo feito de véspera até ao último passo e deixado no frigorífico. No dia de servir, deixe arrefecer à temperatura ambiente, polvilhe com o queijo e leve a gratinar.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Pré-aqueça o forno a 160ºC.
Corte um dos dentes de alho ao meio e esfregue o tabuleiro com ele, depois unte com a manteiga e reserve.

Coloque no copo o queijo e rale 4 seg/vel 8-9. Retire e reserve.
Coloque no copo a cebola, os restantes dois alhos e o azeite, pique 5 seg/vel 5 e refogue 6 min/Varoma/vel 1.
Junte o leite e o tomilho limão, tempere com sal e pimenta e programe 15 min/90ºC/vel 3.
De seguida triture 1 min/vel 6, até obter uma mistura homogénea.

Enquanto o molho cozinha, corte os legumes finamente e distribua-os de forma alternada no tabuleiro untado.
Vá apertando as fileiras, de modo a que o tabuleiro fique bem preenchido e as rodelas fiquem ligeiramente levantadas. Deste modo, a base será cozinhada no molho e ficará macia e a parte de cima ficará crocante.

Verta o leite sobre os legumes, tape com folha de alumínio e leve ao forno cerca de 60 minutos.
Depois desse tempo, destape o tabuleiro, aumente o forno para 200ºC, polvilhe com o queijo ralado reservado e gratine cerca de 10 minutos ou até ficar dourado.

Pode ser tudo feito de véspera até ao último passo e deixado no frigorífico. No dia de servir, deixe arrefecer à temperatura ambiente, polvilhe com o queijo e leve a gratinar.


 photo IMG_0723_zpswjrke92x.jpg

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Bolo de beterraba

 photo 0001_zpsbfc6t7jz.jpg  photo 0002_zpsxjj8uq6m.jpg  photo 0003_zpskdaugh6b.jpg  
Não há volta a dar ao calendário, estamos no pico do Inverno e o que tem que ser tem muita força.
Mais um fim de semana cinzento à vista com chuva, frio e tudo aquilo a que fevereiro tem direito.
Para contrariar esta onda trago flores que espreitam timidamente nas árvores e nos prometem dias mais solarengos. E uma receita fotografada com muita cor.

Como animar as tardes de chuva em casa... Com bolo, ora pois!
Tinha esta receita anotada num papelinho há imenso tempo para experimentar e já nem me lembro quem ma deu.
Um bolo colorido e atrevido, com uma consistência ali no meio caminho entre o pudim, com o ovo filho único que havia em casa.
Para experimentar sem medos!


   photo 0004_zps4ikquudr.jpg 


Bolo de beterraba

150 g de beterraba, cortada em pedaços
200 g de açúcar amarelo ou 240g de tâmaras medjool descaroçadas
450 g de água
60 g de azeite
50 g de vinagre
Raspa de 1 laranja
1 ovo
200 g de farinha de trigo
120 g de farinha de trigo integral
1 c. chá de fermento


// preparação tradicional

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma redonda com buraco.

Na picadora, pique a beterraba o mais finamente possível.
Junte o açúcar ou as tâmaras, a água, o azeite, o vinagre, a raspa da laranja e o ovo e triture tudo novamente.
Passe para a taça da batedeira, adicione as farinhas e o fermento e bata na velocidade mínima, suavemente, apenas até incorporar.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno a 180ºC durante aprox. 30 minutos ou até que ao espetar um palito, este saia seco.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma redonda com buraco.

Coloque no copo a beterraba e pique 5 seg/vel 5.
Adicione o açúcar ou as tâmaras, a água, o azeite, o vinagre, a raspa da laranja e o ovo e bata 2 min/vel 6.
Junte as farinhas e o fermento, envolva com a espátula e programe 5 seg/vel 3.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno a 180ºC durante aprox. 30 minutos ou até que ao espetar um palito, este saia seco.

   photo 0005_zpsfqd8x1dp.jpg

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Sopa de couve flor e chuchu. É o Inverno.

 photo IMG_5589_zpspvdmtbko.jpg

Hoje chove muito lá fora e temos previsão de dias iguais até ao fim da próxima semana.
É Inverno, por isso resolve-se o frio, o cinzento e a chuva puxada a vento com uma sopa quente.
Os ingredientes são fáceis de escolher, há que aproveitar o que vem da horta.

São os pequenos prazeres da época.

   photo IMG_5575_zpsrsia8wht.jpg


Sopa de couve flor e chuchu

1 alho francês
1 cebola
1 dente de alho
1 cm de gengibre
Azeite
1 couve flor, separada em floretes
2 chuchus, cortados em pedaços
1 molho de coentros
Sal e pimenta moída na hora
Broa de milho, para servir


// preparação tradicional

Corte o alho francês em rodelas finas e refogue-o em azeite, junto com a cebola, o alho e o gengibre picados, até que amoleçam.
Adicione a couve flor e o chuchu, cubra com a água e coza tapado em lume brando até que fiquem macios, cerca de 30 minutos.
Tempere com sal e pimenta, junte os coentros e triture até obter um puré cremoso.
Rectifique os temperos e a consistência e sirva de seguida, polvilhado com mais coentros e uma fatia de broa de milho.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Coloque no copo o alho francês, a cebola, o alho, o gengibre e o azeite, pique 5 seg/vel 5 e refogue 6 min/Varoma/vel 1.
Adicione a couve flor e o chuchu, cubra com água e coza 40 min/100ºC/ vel 1.
Tempere com sal e pimenta, adicione os coentros, programe 2 min e vá progressivamente até à vel 7.
Rectifique os temperos e a consistência e sirva de seguida, polvilhado com mais coentros e uma fatia de broa de milho.
   photo IMG_5586_zpsg7kdwgcc.jpg

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

É risotto de ano novo

Mais uma página virada do calendário e cá está ele, o novo ano.
Festejos, reflexões, muitas decisões e desejos, venham eles e que consigamos pelo menos encontrar a força e a vontade de tentar.

Abro o caderno de receitas de 2017 com um singelo risotto de legumes do nosso Inverno.
Estação a estação, vamos lá começar a saborear o ano!


   photo publicar_zpsvmzqcrph.jpg 


Risotto de alho francês e brócolos

Serve 2

Azeite
1 dente de alho
1 alho francês
1 cabeça de brócolos média, separada em floretes
150 g de arroz carnaroli, p/ risotto
150 ml de cerveja
350 ml caldo de legumes caseiro ou água
Sal q.b.
Pimenta preta moída na hora q.b.
1 c. sopa de manteiga
½ queijinho alentejano ralado, para envolver e polvilhar


// preparação tradicional

Num tacho, refogue em azeite o alho francês laminado finamente e o dente de alho picado, até o alho francês amolecer e alourar ligeiramente.
Junte os floretes de brócolos e os talos mais grossos ralados e deixe mais uns minutos.
Adicione o arroz, mexa e cozinhe em lume médio até que o bago mude de cor.
Deite então a cerveja, aumente o lume e aguarde até que levante fervura e o álcool evapore.
Tempere com sal e pimenta e vá adicionando o caldo quente a pouco e pouco, esperando que o arroz o absorva para só então colocar mais, mexendo sempre. Este processo de cozedura do arroz demora entre 18 a 20 minutos.
Apague o lume e envolva a manteiga e metade do queijo.
Polvilhe com o restante queijo e sirva de seguida.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Coloque no copo o queijo e rale 2 a 3 seg, vel 6. Retire e reserve.
Coloque no copo o azeite, o alho, o alho francês e o talo mais grosso do brócolo, pique 5 seg/vel 5 e refogue 5 min/Varoma/vel 1.
Adicione o arroz, os floretes de brócolos, a cerveja, o caldo, tempere com sal e pimenta e programe 8 min/100ºC/vel colher inversa.
Retire a tampa e com ajuda da espátula envolva para soltar o arroz do fundo do copo e programe 10 min/100ºC/vel colher inversa.
Com a espátula, envolva a manteiga e metade do queijo reservado.
Sirva de seguida e polvilhe com o queijo restante.



terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Estrelas de Natal

 photo 0001_zpsv42wk3so.jpg  photo 0002_zpsg9xouzae.jpg  photo 0003_zpsa5l3lgfx.jpg 
Chegou aquela época do ano...
Não sou das pessoas que mais vibra com o Natal, mas tento focar-me na parte boa: família reunida, crianças a correr à nossa volta, coisas boas a sair da cozinha.

Enquanto se tratam dos preparativos, sabe bem um chá quente ou um leite com mel a acompanhar umas estrelas estaladiças.
Por cá saíram várias fornadas, com destinos variados: consumo imediato em território doméstico, reforço do stock caseiro de bolachas e recheio de latinhas bonitas que serão presente para as nossas pessoas mais queridas.

É uma daquelas receitas de bolachas muito versáteis que podemos aromatizar a gosto e, se esticarmos a massa bem fina, ficam crocantes e aguentam imenso tempo guardadas numa caixa fechada hermeticamente.

É, então, em modo estrelas crocantes que deixo os votos de Festas Felizes para todos os que por aqui passam.
Desejo-vos um Natal cheio de amor, com as vossas pessoas do coração por perto.


   photo 0004_zps48qsrwl5.jpg 


Estrelas de laranja e amêndoa 

Rende aprox. 45 un

30 g de amêndoa com pele
20 g de coco ralado
20 g de sementes de linhaça
50 g de flocos de aveia
4 tâmaras medjool (aprox 70g) ou 80g de açúcar amarelo
80 g de farinha de trigo integral
50 g de farinha de espelta ou de trigo
50 g de azeite
2 c. sopa de sumo de laranja
Raspa de ½ laranja


// preparação tradicional

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Forre com papel vegetal dois tabuleiros de forno.

Pulverize a  amêndoa, o coco e as sementes de linhaça o mais finamente possível (estes três ingredientes podem ser substituídos por outras farinhas a gosto).
Misture os ingredientes pulverizados com a aveia e as tâmaras e triture tudo.
Acrescente os restantes ingredientes e misture até obter uma massa homogénea e forme uma bola. 

Com a ajuda do rolo, estenda a massa bem fina numa superfície polvilhada com farinha e corte as bolachas com um cortador.
Disponha-as nos tabuleiros e leve ao forno cerca de 8 minutos, trocando os tabuleiros a meio.
Uma alternativa mais rápida é estender a massa numa folha de papel vegetal e passar um corta-pizza de forma a cortar rectângulos. Depois é só colocar o papel vegetal sobre o tabuleiro de forno e separar as bolachas quando saírem do forno.
Deixe arrefece em cima de uma grelha e guarda numa caixa hermética.
   photo 0005_zpsnacwjynu.jpg


// preparação robot de cozinha / thermomix - bimby

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Forre com papel vegetal dois tabuleiros de forno.

Coloque no copo a amêndoa, o coco e as sementes de linhaça e pulverize 15 seg/vel 9 ((estes três ingredientes podem ser substituídos por outras farinhas a gosto).
Adicione a aveia e as tâmaras e triture 20 seg/vel 9.
Acrescente os restantes ingredientes e misture 15 seg/vel 6.
Retire do copo e forme uma bola.

Com a ajuda do rolo, estenda a massa bem fina numa superfície polvilhada com farinha e corte as bolachas com um cortador.
Disponha-as nos tabuleiros e leve ao forno cerca de 8 minutos, trocando os tabuleiros a meio.
Uma alternativa mais rápida é estender a massa numa folha de papel vegetal e passar um corta-pizza de forma a cortar rectângulos. Depois é só colocar o papel vegetal sobre o tabuleiro de forno e separar as bolachas quando saírem do forno.
Deixe arrefece em cima de uma grelha e guarda numa caixa hermética.


https://www.facebook.com/SusanaGomesPhotography/photos/a.740811316004939.1073741827.346853372067404/1187613551324711/?type=3&theater

Há muitas sugestões de Natal aqui no blogue, por isso se estão em fase de pesquisa para a ementa festiva aí de casa, quem sabe não encontram por cá aquela receita que ainda falta?

Como sempre há também no Susana Gomes Photography vouchers-oferta para sessões fotográficas, por isso, se ainda procuram um presente especial para o Natal, pode ser esta ideia perfeita.
  

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Iogurte de erva príncipe e limão

 photo 0001_zpslvv8invg.jpg  photo 0002_zpsskv6wndt.jpg  photo 0003_zpsz5gi2ygf.jpg

Cá em casa os dióspiros são os reis do Outono e agora que tenho uma companheira para os devorar, nunca podem faltar.
O Ricardo não é fã, mas a Isabel fica de olhos aos saltos quando vê o iogurte com aveia e dióspiro.
De colher na mão, cada uma com a sua taça, é ver quem acaba primeiro, eheheh
   photo 0004_zpshbn6pcyr.jpg

Normalmente fazemos iogurte natural e simples (sim, no plural, o Ricardo tornou-se um pro na arte de iogurtar), ganha depois o sabor da fruta e dos cereais que lhe fazem companhia. Mas desta vez, aproveitando a erva príncipe da horta, aromatizei o iogurte logo na preparação inicial.

E que bom que ficou!
Na minha taça vai iogurte com dióspiro-maçã, sementes de cânhamo e nozes das nossas.
E na vossa?


  photo 0005_zpsmqcsvnod.jpg 


Iogurte de erva príncipe e limão
Receita base de iogurte, com todas as dicas, aqui 

1 L de leite gordo pasteurizado, de preferência biológico
½ c. sopa de erva príncipe seca (ou 3 hastes, se for fresca)
Casca amarela de 1 limão
1 c. sopa de iogurte natural


// preparação tradicional

Aqueça o leite até quase levantar fervura.
Deixe em infusão com a erva príncipe e a casca de limão, até arrefecer.
Retire a erva príncipe e a casca de limão e volte a aquecer o leite até 50ºC.
Se não tiver termómetro, poderá aferir a temperatura certa quando conseguir aguentar lá o dedo durante uns segundos.
Caso aqueça demais, basta aguardar que arrefeça novamente até esse ponto.
Adicione 1 c. de sopa de iogurte e misture bem.

Deite num frasco de vidro grande ou nos copos da iogurteira, e deixe fermentar entre 8 a 10 horas.
Para fermentar sem iogurteira: coloque três dedos de água a ferver num frasco grande de vidro, com tampa, de preferência de 1L.
Deixe o frasco assim, enquanto prepara a mistura, para que fique morno.
Deite fora a água e depois deite a mistura de iogurte.
Embrulhe o frasco numa manta polar, junto com um saco de água quente, e deixe fermentar embrulhado, numa zona quente da casa, sem mover de lugar.
Depois de fermentar, coloque no frigorífico e consuma depois de fresco.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Coloque o leite no copo e aqueça 10 min/90ºC/vel 3.
Adicione a erva príncipe e a casca de limão e deixe em infusão até arrefecer.
Retire a erva príncipe e a casca de limão e volte a aquecer o leite: 5 min/50ºC/vel 2.
Junte o iogurte e misture 15 seg/vel 4.

Deite num frasco de vidro grande ou nos copos da iogurteira, e deixe fermentar entre 8 a 10 horas.
Para fermentar sem iogurteira: coloque três dedos de água a ferver num frasco grande de vidro, com tampa, de preferência de 1L.
Deixe o frasco assim, enquanto prepara a mistura, para que fique morno.
Deite fora a água e depois deite a mistura de iogurte.
Embrulhe o frasco numa manta polar, junto com um saco de água quente, e deixe fermentar embrulhado, numa zona quente da casa, sem mover de lugar.
Depois de fermentar, coloque no frigorífico e consuma depois de fresco.


 photo 0006_zpswduqo7jb.jpg

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Muffins de maçã.

 photo 0001__zpsacvmj1lq.jpg

Nos fins de semana de sol e frio nem sempre é fácil escolher a quem dar ouvidos.
Há aquele bichinho bom chamado preguiça que nos puxa para um sofá com manta, ronha e lanche de pantufas. E há uma outra voz que nos chama do lado de lá da janela, com a promessa de passeios com vento na cara, casaco e gorro de lã, e aquele frio bom que nos enche os pulmões de energia.
Estão a ver o dilema? Acho que sabemos todos do que falo.
  photo 0002__zpsdfoj0b9h.jpg  
Pelas fotos do post de hoje dá para ver quem ganhou desta vez.
Praia maravilhosa, só mar e céu azul e areia e nós. Tudo.

Tudo e estes muffins de maçã a animar o lanche na areia, que isto de galgar areais dá fome!


   photo 0003_zps8au3mszi.jpg 


Muffins de maçã
Receita adaptada da revista Bon Appétit, Julho 2015 

Rende 12 un

200 g de farinha de trigo c/ fermento
150 g de farinha de trigo integral
150 g de açúcar mascavado (ou 210 g de tâmaras medjool, aprox. 12 un)
1 c. chá de fermento para bolos
1 c. chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
½ c. café de noz moscada
2 chávenas de maçã reineta ( 2 un), descascada, partida em cubinhos
80 g de manteiga
3 ovos
300 g de iogurte natural
Raspa e sumo de ½ limão
2 c. sopa de açúcar mascavado p/ polvilhar


// preparação tradicional

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Forre com papel vegetal 12 formas grandes de muffins.

Numa taça grande, misture as farinhas, o açúcar (se o substituir pelas tâmaras, adicione-as no próximo passo), o fermento, o bicarbonato, o sal e noz moscada.
Envolva 1 ½ chávena de cubos de maçã e reserve.

Bata a manteiga amolecida com os ovos, as tâmaras (caso as use como substitutas do açúcar), o iogurte e o sumo e raspa de limão até obter uma mistura homogénea e cremosa, cerca de 30 segundos.
Deite esta mistura na taça com a farinha e envolva.
Divida a massa pelas formas preparadas, distribua os restantes cubos de maçã pelas formas, polvilhe com o restante açúcar e leve ao forno a 180ºC cerca de 25-30 minutos (ao espetar um palito no centro da forma este deve sair seco)
Retire do forno e deixe arrefecer um pouco sobre uma grelha antes de desenformar.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Forre com papel vegetal 12 formas grandes de muffins.

Numa taça grande, misture as farinhas, o açúcar (se o substituir pelas tâmaras, adicione-as no próximo passo), o fermento, o bicarbonato, o sal e noz moscada.
Envolva 1 ½ chávena de cubos de maçã e reserve.

Coloque no copo a manteiga e derreta 2 min/60ºC/vel 1.
Adicione os ovos, as tâmaras (caso as use como substitutas do açúcar), o iogurte e o sumo e raspa de limão e bata 30 seg/vel 6. Deite esta mistura na taça com a farinha e envolva.
Divida a massa pelas formas preparadas, distribua os restantes cubos de maçã pelas formas, polvilhe com o restante açúcar e leve ao forno a 180ºC cerca de 25-30 minutos (ao espetar um palito no centro da forma este deve sair seco)
Retire do forno e deixe arrefecer um pouco sobre uma grelha antes de desenformar.
    

 photo 0004__zpsrip3wanf.jpg

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Tarte de abóbora, espinafres e roquefort. Sabe a Outono.

 photo 0001_zpsbvterccu.jpg  
Estamos em plena época de abóboras.
Castanhas, dióspiros, romãs, cogumelos, abóboras. É isto tudo.
E a luz. Esta luz do Outono é mesmo especial.
Tenho muita dificuldade em escolher uma estação favorita porque viver em Lisboa é ter o melhor de todas elas, na medida certa.

Foi um Verão maravilhoso, fins de tarde quentes, praia aqui ao lado, o parque sempre à mão até à hora do jantar.
   photo 0002_zps6nnjobmj.jpg
 photo 0003_zpsp5lr7pon.jpg  photo 0004_zps3phi8xgq.jpg  
Agora são estes dourados a fazer de almofada às brincadeiras.
É brincar com os patinhos a sentir o fresco na cara ao fim do dia, é a paragem certa no vendedor de castanhas, é deslizar no escorrega vezes sem fim para aquecer.

Agora é a vez do Outono. E é tão bom!


   photo 0005_zpseq5ixy2h.jpg


Tarte de abóbora e espinafres com roquefort

Massa:
130 g de farinha de trigo s/ fermento
70 g de farinha de arroz integral (usei arroz pulverizado em casa)
Raspa de ½ limão
80 g de manteiga fria, em pedaços
20 g de água gelada

Recheio:
1 abóbora manteiga pequena, cortada em cubinhos
Azeite
2 dentes de alho
200 g de espinafres frescos
50 g de queijo roquefort, grosseiramente desfeito
160 g de iogurte natural
3 ovos
Sal e pimenta preta moída na hora


// preparação tradicional

Numa taça grande, misture as farinhas e a raspa de limão. Junte a manteiga gelada e vá amassando o mínimo possível com a ponta dos dedos, apenas até obter uma farofa grossa.
Junte a água bem fria, até que a farofa se torne mais homogénea.
Forme uma bola com a massa, envolva em película aderente e deixe no frigorífico por pelo menos 1 hora ou de um dia para o outro.
Estenda a massa com o rolo da massa sobre uma superfície enfarinhada e forre com ela uma forma de tarte.
Pique com um garfo e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 30 minutos.

Enquanto isso, prepare o recheio.
Salteie a abóbora em azeite, com o alho picado, cerca de 8 minutos.
Junte os espinafres e deixe em lume médio até murcharem.
Retire a base do forno, deite esta mistura sobre ela e distribua o queijo.
Bata os ovos com o iogurte, tempere com sal e pimenta e verta sobre o recheio.
Leve ao forno a 180ºC mais 30 minutos.

   photo 0006_zps61de8vox.jpg


 // preparação robot de cozinha / thermomix - bimby

Para a massa, deite todos os ingredientes no copo e programe 8 seg, vel 6.
Forme uma bola com a massa, envolva em película aderente e deixe no frigorífico por pelo menos 1 hora ou de um dia para o outro.
Estenda a massa com o rolo da massa sobre uma superfície enfarinhada e forre com ela uma forma de tarte.
Pique com um garfo e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 30 minutos.

Enquanto isso, prepare o recheio.
Coloque o alho e o azeite no copo e pique 3 seg/vel 5.
Adicione a abóbora em cubos e os espinafres e programe 10 min, Varoma, vel colher inversa.
Retire a base do forno, deite esta mistura sobre ela e distribua o queijo.
Bata os ovos com o iogurte, tempere com sal e pimenta e verta sobre o recheio.
Leve ao forno a 180ºC mais 30 minutos.

   photo 0007_zpspvsxakg5.jpg

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Sumo de pequeno almoço. Dióspiro e beterraba.

Falando de fruta e sumos e pequenos almoços. Só coisas boas, certo?
Prefiro sempre comer a fruta inteira, principalmente de manhã, numa taça com iogurte e granola.
Trituradas acabam sempre por perder vitaminas e nutrientes, por isso, embora sejam naturalmente a melhor opção quando se fala em sumos, mesmo os caseiros, são sempre uma bebida ocasional e não a nossa regra para consumir fruta fresca.

Mas nos dias de pequeno almoço mais demorado, disco a tocar e tentativas de ler uma revista entre as brincadeiras da miúda connosco na sala, também se vão fazendo uns sumos coloridos com o que há de época.

As beterrabas da horta do meu pai são só maravilhosas. Tão sumarentas e vibrantes!
Foram juntar-se aos meus queridos dióspiros e cá este ele: sumo cheio de outono para desejar um bom fim de semana.


 photo publicar_zpsbmvcincv.jpg


Sumo de dióspiro e beterraba


Serve 2

1 dióspiro
¼ de beterraba
1 laranja descascada
1 c.chá de sementes de cânhamo
1 copo de água
2 pedras de gelo


// preparação

Coloque todos os ingredientes numa liquidificadora ou no copo da Bimby e triture cerca de 2 minutos.
Acerte a consistência a gosto, juntando mais água se for necessário. Sirva de imediato.



terça-feira, 4 de outubro de 2016

Ketchup de ruibarbo

 photo 001-storyboard_zpsxfnyl01u.jpg

No final do Verão passado tivemos a primeira leva de ruibarbo da horta.
E com ele se fez este curioso ketchup, que é uma verdadeira surpresa de tão bom!
Dependendo da variedade do ruibarbo usado, a cor pode variar entre o mais rosado ou mais amarelado, como é aqui o caso. Mas o sabor, esse não vai desiludir.

Seja em sanduiches, carnes fatiadas ou bifes, chips de batata doce ou como extra que eleva um simples hambúrguer a outro patamar - um frasquinho deste ketchup no frigorífico nunca lá se aguenta muito tempo.


   photo 002-storyboard_zpssnnq1mjo.jpg


Ketchup de ruibarbo
Receita adaptada da revista Food & Wine, Junho de 2004 

350 g de talos de ruibarbo
30 g de vinho do Porto
20 g de vinagre de vinho branco
40 g de açúcar mascavado
Casca de meia laranja
Sal e pimenta preta moída na hora


// preparação tradicional

Num tachinho, colocar todos os ingredientes e deixar em lume médio até levantar fervura. Desligar e deixar repousar cerca de 30 minutos.
Volte a ligar o lume e deixe tapado cerca de 5 minutos, em lume brando, mexendo ocasionalmente, até o ruibarbo ficar tenro.
Retire a casca de laranja e triture. Tempere com sal e pimenta.

Coloque num frasco de vidro e guarde no frigorífico.
Cá em casa conservou-se assim pelo menos um mês.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Coloque todos os ingredientes no copo e programe 8 min/100ºC/ c. inversa. Quando o tempo terminar, deixe repousar cerca de 30 minutos.
De seguida, programe 5 min/100ºC/ vel c.inversa. Retire a casca de laranja e triture 30 seg/vel 7. Tempere com sal e pimenta, misture e, se necessário, rectifique os temperos.

Coloque num frasco de vidro e guarde no frigorífico.
Cá em casa conservou-se assim pelo menos um mês.

     photo 003-storyboard_zpsnv3tnyhp.jpg